Barulho se tornou a nova "música" nas cidades

São Paulo, domingo, 30 de maio de 2010 (Folha de S. Paulo – Cotidiano)

Link da fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff3005201005.htm

IVAN DIZIOLI
ESPECIAL PARA A FOLHA

Em uma manhã, você acorda com o vizinho que, ao se levantar, liga o som alto. No caminho para o trabalho, pega trânsito. Buzinas, motos, ônibus vão compondo a “música” do dia.
Chega ao escritório. Parece que todos falam ao pé do seu ouvido. Toca o telefone, alguém grita pedindo algo, e essa “música” o acompanha.
Chega em casa. Tenta assistir à TV. Mas não consegue. Tem festa no bar ao lado. Tenta dormir. Não consegue de novo. Até que você se levanta, pega uma arma, vai até o bar onde há festa e atira contra os clientes.
Não é roteiro do Tarantino.
Essa história é mais um fato que ocorreu em São Paulo. O relato poderia terminar de forma menos violenta.
Com um ataque do coração, por exemplo. Ou com você sendo atropelado porque perdeu os reflexos auditivos. Agora de quem é a culpa?
Do arquiteto que desenhou o dormitório para a rua, da construtora que economizou no material e construiu paredes finas, da prefeitura que não fiscaliza o bar ou da própria pessoa que tem sensibilidade auditiva maior?
Não importa a culpa. O que precisamos mesmo é de respeito mútuo.
IVAN DIZIOLI é engenheiro de telecomunicações com especialização em acústica

260 total views, 3 views today

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para Barulho se tornou a nova "música" nas cidades

  1. carolina thomeu disse:

    Olá Waldir, baseado na matéria da Folha de S.Paulo gostaríamos de fazer uma reportagem para o Jornal da Band sobre o assunto. Será que você estaria disponível para dar entrevista nesta quinta-feira, apesar de feriado? A minha equipe de gravação irá até você. Se também tiver algum cliente que entrou com uma ação por pertubação sonora e topar falar , seria ótimo. Agradeço desde já! Carolina Thomeu

Deixe uma resposta