Gentilezas: o barulho nosso de cada dia | Lagoinha

Fonte: http://www.lagoinha.com/ibl-vida-crista/16601/
Uma ilha cercada por todos os lados. Esta foi a sensação experimentada em um domingo passado. Na rua em frente minha casa um carro exalava versos pornográficos disfarçado de funk. Ao lado, na casa vizinha, o distribuído era o melancólico som de dor de cotovelos em um sertanejo choroso. Ao fundo, o pagode para completar o quadro, misturando-se a vozes gritadas em um churrasco. Estilos variados, volumes disputados. Uma confusão de tons e notas. E assim foi o meu santo “dormingo”, sem conseguir dormir um pouquinho a tarde, como é de praxe, depois do almoço. Lamentei. E assim vamos sendo cercados, encurralados pelo barulho excessivo. Torturados pelos habitantes do andar de cima do prédio; aquela vizinha que tenta insistentemente evangelizar todo mundo por meio de músicas gospel e até arrisca cantarolar, acompanhando o rádio; mas tudo o que consegue e promover a irritabilidade, por tanto gritar; os passageiros dos ônibus e seus celulares, que disputam os ouvidos alheios, em uma acirrada competição de chiadeira. No trânsito, carros circulam e se arrastam escorrendo um barulho estridente que estremecem as paredes e os nossos tímpanos… O que fazer? Buscar na justiça o nosso direito ao silêncio; pedir cordialmente para que o volume do som seja diminuído; clamar a Deus por misericórdia; cobrar dos nossos representantes governamentais uma posição quanto à poluição sonora… Mas o que tem feito efeito realmente é arrolharmos os ouvidos com protetores e esperar que a confusão termine. Infelizmente. Enquanto não existe o bom senso que ordene o “manuseio” do som, vamos exercendo a paciência. Orando mais e perdoando com mais frequência.                       Quem sabe, um dia seremos civilizados o suficiente a ponto de respeitarmos os ouvidos alheios e termos os nossos preservados. Enquanto esse tempo não chega poderemos fazer uma doação de fones de ouvidos aos agressores do silêncio e esperar o outro domingo; e, talvez, e se tivermos sorte, será enfim, um “dormingo”.  “E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também”(Lucas 6.31). ::Nilma Gracia Araujo  nilmaraujo@hotmail.com                                                   Formada no Seminário Teológico Carisma                                                                 Membro da IBCVN Colaboradora do portal Lagoinha.com 1 Tags:educação , gentilezas

323 total views, 3 views today

Esta entrada foi publicada em Artigos, Notícias (Clipping). Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta