Desconhecimento sobre prevalência da Regra Federal faz população se enganar sobre tratamento legal de Igrejas

 

Ignorância sobre prevalência de norma federal sobre regra municipal faz população municipal pensar que norma municipal poderia aumentar limite legal federal de tolerância a ruído.

Vejam que incrível a notícia que recebi hoje:

 

Lei aumenta tolerância a barulho em igrejas e causa polêmica no ES

2/3/12 – http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2012/03/lei-aumenta-tolerancia-barulho-em-igrejas-e-causa-polemica-no-es.html 

Mudança divide opiniões dos capixabas.
Disque-silêncio prevê menos denúncias.

Do G1 ES com informações da TV Gazeta

Uma nova lei tem causado polêmica entre a população da Serra, na Grande Vitória. As igrejas do município agora podem fazer mais barulho durante os cultos e celebrações. De acordo com o projeto aprovado em janeiro de 2012, foi aumentado em 30 decibéis o limite máximo de barulho feito pelos templo religiosos, chegando agora a 85 decibéis entre 7h e 22h. Nas ruas, moradores divergem.

“Tem igreja que se exalta demais. A igreja na frente da minha casa é assim”, diz o bancário Frank Lane. “Quando a pessoa está na liberdade de espírito, é difícil dela se controlar. É muito poder de Deus para quem vive do evangelho”, defende o empresário Clodoaldo Vieira.

Apesar da reclamação de alguns moradores, no ano de 2011 as denúncias contra barulho em igrejas e templos não representou nem 10% do total, segundo o Disk Silêncio da Serra. Agora, com a nova lei as reclamações devem diminuir ainda mais.

saiba mais

“Na lei anterior em que se enquadrava todos estabelecimentos, agora a nova lei engloba só templos religiosos e o limite é de 85 decibéis, com mais tolerância”, conta o fiscal do Disque Silêncio, Sidney Cavalcante.

Segundo o Disque Silêncio da Serra, as denúncias são checadas com um equipamento que mede os decibéis dos templos religiosos. Quando constatado que está abaixo do limite permitido, não há penalidades.

571 total views, 3 views today

Esta entrada foi publicada em Artigos, Legislação, Notícias (Clipping), Templos Religiosos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta