Jornal Classe A – A classe de um bom jornal

http://www.classealem.com.br/index.php?pag=noticia&id=4691

Postada em: 21/11/10 – 10:18:27
Fior aposta no Somblock para resolver problema da poluição sonora em LEM

  Escrita por: Heloíse Steffens

Vereador Eder Fior: “Encontrei uma solução que resolveu o problema na cidade de Eunápolis, por isso encaminhei esse material de minha pesquisa que considero da mais alta importância e necessidade para o nosso município à promotora de Justiça, Semiana Cardoso” (Foto: Arquivo Classe A)
Vereador Eder Fior: “Encontrei uma solução que resolveu o problema na cidade de Eunápolis, por isso encaminhei esse material de minha pesquisa que considero da mais alta importância e necessidade para o nosso município à promotora de Justiça, Semiana Cardoso” (Foto: Arquivo Classe A)

Cansado da falta de fiscalização do Poder Executivo no que tange à aplicação da Lei do Silêncio, regulamentada pela Lei n° 074 de 2001 e, da dificuldade de se encontrar medidas para amenizar este grave problema, o vereador e presidente do Poder Legislativo, Eder Fior (PR), encaminhou à representante do Ministério Público no dia 12 de novembro, uma medida que pode solucionar este entrave ao sossego e à ordem. Trata-se do Somblock, um aparelho que, instalado a qualquer som, tem o poder de desligá-lo caso o volume ultrapasse a quantidade de decibéis permitida em lei municipal.

É o que já está acontecendo desde o ano de 2007 no município de Eunápolis, a 643 km de Salvador, no extremo sul do Estado. Com a implantação do limitador de som nos 24 carros de propaganda sonora, as reclamações feitas no Ministério Público Estadual (MP) e na Secretaria de Meio Ambiente foram quase reduzidas à zero. A iniciativa surgiu da necessidade.

Ao determinar a proibição da circulação dos carros de som na cidade durante oito meses, o autor da ação – o promotor de justiça João Alves da Silva Neto precisava encontrar uma solução para o impasse que girava em torno da questão: o desemprego gerado por conta da proibição. Foi então que ele decidiu solicitar a José Geovaldo Vianna de Miranda, de 43 anos, um pernambucano radicado em Eunápolis desde 1986, que este encontrasse uma solução para o problema.

Não demorou e o técnico em eletrônica e em telecomunicações inventou o Somblock, um aparelho de 7 cm por 25 cm que já está presente em vários municípios baianos, com vistas a se estender para todo o território brasileiro. Mesmo a capital – Salvador, através de aprovação da Câmara Municipal de Vereadores e de sanção da Prefeitura, deverá adotar o sistema, muito em breve, nos automóveis e casas de show.
Para o promotor João Alves da Silva Neto, este é um invento que só veio para melhorar a vida das pessoas. “O centro da cidade estava uma bagunça, com carros de som com volumes nas alturas”, relembra. Além dos bares e carros de som de Eunápolis, o aparelho foi também instalado em boates, igrejas e academias de ginástica, resolvendo o problema local. Isso porque o aparelho é programado para que o som circule no limite estabelecido, o que pode acontecer de duas formas.

Na primeira, há um modo em que o som é desligado assim que os decibéis estão acima do permitido e, na outra opção, um aviso é emitido, informando que o volume está acima do limite. Se não for corrigido, o Somblock começa a gerar interferência no som. Caso o volume continue alto, o som é desligado sem prejuízo para o equipamento. Quando instalado, o Somblock só pode ser retirado se o lacre for rompido. E quem faz isso está sujeito a multa de R$ 1,2 mil.

Implantação em LEM

Para o vereador Eder Fior, este é o tipo de iniciativa que – se aplicada no município de Luís Eduardo Magalhães, poderia sanar por completo o problema da poluição sonora – um problema que, em suas palavras, Poder Executivo e demais autoridades não conseguiram se desincumbir até o momento. “Encontrei uma solução que resolveu o problema na cidade de Eunápolis, por isso encaminhei esse material de minha pesquisa que considero da mais alta importância e necessidade para o nosso município à promotora de Justiça, Semiana Cardoso”, explica.

Uma vez a iniciativa no município de Eunápolis ter partido do representante do Ministério Público, Fior espera que – após a análise dos documentos encaminhados, providências cabíveis – no que se refere ao clamor público no tocante ao cumprimento da lei do silêncio, sejam adotadas também em Luís Eduardo. “Desde já me coloco à disposição da representante do MP, como vereador e presidente, para colaborar naquilo que for necessário”, evidencia.

A invenção do Somblock

O laboratório de José Geovaldo Vianna fica em um quarto no fundo da sua casa. “Aqui, eu passo horas, sempre buscando criar alguma coisa”, contou. Ele sempre foi fascinado por eletrônica e aos 10 anos já ganhava prêmios por inventos de sua autoria nas feiras de ciências das escolas. Novas invenções foram surgindo. “Só com uma antena que vendi, minha mãe mobiliou a casa toda”, conta. Os álbuns de fotografia de Geovaldo são recheados de imagens dos inventos. “Eu tive professores que me ensinaram muito, principalmente em Paulo Afonso, onde fiz o meu curso técnico”, relembra. Geovaldo patenteou o Somblock no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Ele já instalou o aparelho, também por determinação da Justiça, em boates de Porto Seguro. Já foram vendidos mais de 80 aparelhos, que custam R$ 800.
Fonte: Trecho extraído do Jornal A Tarde (Box A Invenção do Somblock)

  Fonte: Jornal Classe A

822 total views, 3 views today

Esta entrada foi publicada em Bares, Destaque, Materiais Acústicos, Notícias (Clipping). Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta