Barulho de aeroporto cria hipertensão instantânea, diz estudo

http://moglobo.globo.com/integra.asp?txtUrl=/mundo/mat/2008/02/14/barulho_de_aeroporto_cria_hipertensao_instantanea_diz_estudo-425654148.asp

Barulho de aeroporto cria hipertensão instantânea, diz estudo

Plantão | 14/02/2008 às 17h36 Reuters/Brasil Online

Por Michael Kahn

LONDRES (Reuters) – Viver perto de um aeroporto não só é irritante como também insalubre, disse um estudo divulgado na quarta-feira, segundo o qual um barulho intenso eleva imediatamente a pressão sanguínea de uma pessoa que esteja dormindo.

Quanto mais alto é o ruído, maior é a elevação da pressão, o que sugere que vizinhos de aeroportos podem ter mais problemas de saúde, de acordo com Lars Jarup, que dirigiu o estudo, encomendado pela Comissão Européia (braço Executivo da União Européia).

“Viver perto de aeroportos em que há exposição ao barulho da aviação noturna é uma grave questão”, disse Jarup, pesquisador de saúde ambiental do Imperial College, de Londres. Segundo ele, o estudo é inédito para avaliar o efeito do barulho de aeroportos.

A hipertensão pode provocar derrames, enfarto e insuficiência cardíaca e renal. O problema afeta mais de 1 bilhão de adultos no mundo.

A equipe de Jarup demonstrou que pessoas que vivem por pelo menos cinco anos perto de um aeroporto movimentado ou sob uma rota têm maior risco de desenvolver hipertensão crônica.

Ao avaliar quase 5.000 pessoas, concluiu-se que um aumento de 10 decibéis no ruído noturno eleva em 14 por cento o risco de hipertensão em homens e mulheres.

“Sabemos que o ruído do tráfego aéreo pode ser uma fonte de irritação, mas nossa pesquisa mostra que pode ser também nociva à saúde das pessoas, o que é particularmente significativo à luz dos planos de ampliar os aeroportos internacionais”, afirmou o cientista.

Ao longo de quatro anos, os pesquisadores monitoraram remotamente a pressão arterial de 140 voluntários a cada 15 minutos, enquanto dormiam em suas casas, nos arredores do aeroporto londrino de Heathrow e de três outros grandes aeroportos europeus.

Eles usaram gravadores digitais para determinar quais ruídos influíam mais na pressão arterial -seja o ronco do parceiro, o trânsito da rua ou o barulho dos aviões. O nível do ruído, e não sua origem, era o principal fator, mas os aviões tiveram maior impacto, segundo Jarup.

“Na maioria das vezes o ruído do trânsito na rua não é tão ruim durante a noite. Se você vive perto de um aeroporto onde há vôos noturnos, a história é bem diferente”, afirmou.

(Reportagem de Michael Kahn)

56 total views, 3 views today

Esta entrada foi publicada em Notícias (Clipping). Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta